domingo, 4 de março de 2018

E o Curling?

E Esposende ter uma ligação aos desportos de Inverno?

A ideia parece disparatada e até inaudita, mas ouvindo as palavras do presidente da Federação Portuguesa de Desportos de Inverno (FPDI) e do presidente do Comité Olímpico de Portugal os mais sépticos podem mudar de ideias.

É notório que de edição para edição os Jogos Olímpicos de Inverno têm maior notoriedade e maior impacto na opinião pública e que de edição para edição Portugal vai ter uma maior representatividade nestes Jogos Olímpicos.

Recentemente o presidente da FPDI noticiou que estava em curso a criação de uma equipa de curling e que se aproximavam verbas para apoiar a construção de um "Pavilhão de Frio" e que este pavilhão iria acolher grande parte destes desportos de inverno que a FPDI organiza e com ele virá também os eventos paralelos aos eventos principais e que está à procura de um local para o colocar e não faz muita questão que seja na Guarda ou na Covilhã.

E onde temos neve para acolher estes eventos ? Não temos, mas isso também não é problema.

Sochi organizou os Jogos Olímpicos de Inverno quando estavam 20º C a 10 km da montanha e os atletas de esqui de fundo foram-se bronzear nas suas praias, mas este é um exemplo muito especial admito.

Olhando para o cardápio de provas da FPDI percebemos que à parte das provas de fundo quase tudo é à base de neve artificial e de espaços verdes e ai teremos uma palavra a dizer.

Podem-me dizer que nem um pavilhão multiusos temos e já querer avançar para um pavilhão de frio é como não ter dinheiro para uma bicicleta e querer comprar um Ferrari, mas se o projeto em curso para o novo Pavilhão Multiusos de Esposende  for célere, entre negociações e renegociações estaremos em bom plano para o poder ter e estar na linha da frente para algo que vai nascer.

E agora podem-me chamar de louco!