domingo, 15 de janeiro de 2017

A hora de geringonça

Com a candidatura de João Cepa, é a hora da gerigonça.

Com a fragmentação do eleitorado à direita, está na hora da esquerda esposendense se entender e de avançar em conjunto nas próximas eleições autárquicas.

Estas serão umas eleições mais disputadas do que o habitual e algo me diz que no final teremos  uma assembleia municipal mais fragmentada do que as assembleias dos anos 90 e 00's e isso deverá ser aproveitado pela PS e CDU.

Os tempos são outros e as diferenças ideológicas à esquerda têm de ser suprimidas para este combate que se avizinha: a União Soviética já não existe e Mário Soares já não está entre nós.

Perder esta oportunidade é o mesmo que hipotecar as hipóteses da esquerda esposendense durante 15 anos e isso é um luxo a que não nos podemos dar.

E acima de tudo é necessário uma cara nova, um rosto fresco e um novo discurso para passar a mensagem.

Dizer que os outros são maus cativa durante algum tempo, mas mostrar o caminho de como se pode ser melhor é cativar durante muito mais e é esse o trilho que deve ser seguido pela geringonça.

Discursos destrutivos e posições dignas de um adepto de futebol furioso não colhem nem simpatia, nem respeito, e utilizar a máquina do partido para ganhar alguma visibilidade com a aparição esporádica de alguma das figuras do partido também transpira uma ligação pouco forte ao partido e com isso a imagem de solidez dos candidatos sai afetada.

É preciso ser sólido e ter uma voz presente, sempre presente.

A esta distância das eleições não deveriam passar 2 semanas sem que a geringonça tivesse mais um projeto, mais uma ideia, mais um caminho para o concelho.

Fica o meu conselho.