domingo, 12 de novembro de 2017

E uns ciclos de cinema?

Sejamos sinceros, o cinema e a forma como o vamos ver mudou.

Se o cinema dito comercial, ou de grande divulgação, hoje está remetido para as salas múltiplas dos grandes centro-comerciais, as salas de cinema mais pequenas refugiam-se nos ciclos especializados de cinema para conseguirem encher as suas salas.

Esposende está deficitário de um cinema e de sessões de cinema e todas as soluções são boas para trazer novamente esta forma de arte a este concelho.

As notícias da morte dos espectadores nas salas de cinema foram francamente exageradas e, hoje em dia, o público volta às salas porque a qualidade da experiência de cinema numa sala de cinema é sempre diferente da experiência à frente do portátil ou da sala de casa e isso deve ser aproveitado.

Cada vez mais são as entidades que procuram não só exibir filmes de menor divulgação, como a mescla entre cinema e música com atuações ao vivo de conjunto musical enquanto se assiste ao cinema e isso pode ser aproveitado por nós.

Houve uma altura neste concelho em que havia pessoas que iam a uma sessão de cinema numa segunda-feira laboral em Esposende para ver um filme que já tinha estreado há 2 meses atrás e isto dito hoje parece que estamos a falar de uma realidade alienígena ou de um mundo paralelo, mas isso pode ser novamente uma realidade dos nossos dias.

Ciclos dedicados a uma temática, ator, atriz, cidade, época ou país pode ser um bom motivo para que haja novamente cinema em Esposende.

Fica a sugestão.