segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Obra de regime 2017/2021


Embora pouco aprofundada, uma das questões lançadas para discussão aquando da última campanha eleitoral foi a da inexistência de um espaço multiusos no concelho, para a realização de eventos e actividades, de natureza cultural e desportiva.
As soluções a que o Município recorre invariavelmente são, desde há muito, insuficientes. O Auditório Municipal está encravado num prédio para habitação. Os pavilhões escolares são de construção antiga, sem conforto e dimensão para as exigências dos dias de hoje.
Impõe-se, por isso, um equipamento desta natureza que colmate uma manifesta carência no nosso concelho. Diria mesmo que esta obra é mais urgente do que o Parque da Cidade.
Espero, pois, que o tema venha a constar da agenda do executivo camarário para os próximos 4 anos, preferencialmente, nos primeiros lugares e não como mera intenção programática. Quantos mais anos Esposende adiar a construção de um equipamento multiusos, mais se afastará da linha da frente da modernidade e competitividade que tanto ambiciona.