quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Pluralidade Religiosa pelo Natal.

Em tempos já abordei este tema, mas aproveitando o espírito de Natal é importante relembrar novamente esta temática, já que se todos nos lembramos de quem o celebra temos também de nos lembrar de quem não o celebra..

As diferentes crenças religiosas que estão presentes no nosso concelho são continuamente esquecidas ficando a sensação que apenas a Igreja Católica Apostólica Romana têm capacidade de organização, de profecia e capacidade de mobilização para algo que não seja apenas a sua atividade religiosa.

Olhando para a recente campanha eleitoral onde este assunto é continuamente esquecido e pela atitude que as diversas instituições deste concelho têm para com as diferentes crenças religiosas ao longo dos anos é muito claro que eles vivem à margem da sociedade esposendense e que a sua contribuição poderia ser maior naquilo que se configura num ciclo vicioso por de afastamento.

E esta situação têm de ter os dias contados.

As diferentes crenças religiosas podem oferecer à sociedade esposendense  uma outra amplitude de soluções para os seus problemas sociais, pode oferecer novos tipos de eventos, podem ainda oferecer um novo ponto inicial, e algo revolucionário, numa saudável convivência entre o mundo político/institucional e estas crenças no que seria uma saudável demonstração da laicidade do Estado, algo que este concelho necessita.

Se tenho de aceitar as demonstrações religiosas da Paróquia de Santa Maria dos Anjos nas nossas principais praças também tenho de aceitar as demonstrações religiosas das Testemunhas de Jeová e dos Adventistas do 7º Dia apesar do seu menor impacto histórico na nossa sociedade.

Urge que de uma vez por todas esta lacuna na nossa sociedade seja corrigida.