sábado, 27 de agosto de 2016

O braço esquerdo!

Continua a dar que falar a estátua aos Bombeiros!

Pela minha parte não conheço nem autores, nem mentores, nem consultores que possam ter estado envolvidos no pensamento da coisa.

Objectivamente merece-me uma palavra favorável a intenção.
Tudo o resto: localização, adequação e gosto (os que são discutíveis), sou claramente contra.
A localização é tremendamente infeliz. A ligação com a envolvente, entalada ali já em cima de uma floreira da praça, encostada a norte, ... não me parece ter sido devidamente pensada.
A obra em si... com um simbolismo devidamente fundamentado... parece-me ficar muitos furos abaixo do que seria expectável, pese embora a intenção da "mão" estar muito bem sacada, fugindo aos tradicionais machados, escadas, mangueiras.

Mais negativo que isto tudo é sem dúvida alguma o nível de indignação do Sr. Presidente da Câmara.
Li ontem no Esposende24 que o Sr. Presidente se sente vítima da maledicência e da crítica dos incompetentes, dizendo isto sobre o manto de que não se exalta com facilidade...

Ora isto está tudo muito bem, não fosse o facto de a gente tão bem saber o quanto o Sr. lida mal com a divergência de opinião! E tal vitimização não deixa de colocar a nú que alguém pensa que gere um Município da mesma forma que o seu porta-moedas! 

É natural que qualquer munícipe tenha opinião quando se gasta o que a todos pertence!
O dito popular "cada cabeça sua sentença" não foi suspenso durante o mandato em curso apesar de que lhe poderia dar um tremendo jeito.

Ninguém discordará da justiça da homenagem! O que o Sr. Presidente deveria cogitar era que ninguém se atreveria a colocar em questão a obra precisamente com receio de ofender as instituições. Felizmente ninguém chega a ponto tão mesquinho de confundir as coisas! Ninguém acreditará que divergir quanto à obra seja desconsiderar os bombeiros do concelho - a quem inequivocamente muito devemos e agradecemos.

Enfim...

Por último... resta-me dizer que é lamentável que se fale em limitação orçamental para um monumento aos nossos bombeiros, mas que haja €9.000,00 (nove mil euros) para um ajuste directo de "Prestação de Serviços de Transmissão de Um Documentário/Programa do Concelho de Esposende", que, a confirmar-se ser respeitante a um meio noticioso local (de emissão exclusiva on-line), não se percebe como necessita o Município de pagar para colocar on-line algo que poderia distribuir através do seu próprio site e facebook, tendo provavelmente o mesmo auditório.

Mais insólito ainda quando a adjudicatária em tal contrato é constituída em 01.08.2016 e em 08.08.2016 já é contratante num ajuste directo. Claro que toda a gente sabe o quão frequente é constituirem-se sociedades para fazer face à celebração de um contrato A ou B, sem que com isso venha qualquer acto "criminoso" ao mundo, mas que fica muito mal na fotografia fica.

€9.000,00 eram bem capazes de dar para mais um bracinho esquerdo para o bombeiro ou eventualmente uma prótese.