quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Trail das Azenhas 2.0

Não sendo grande amante do "mais vale tarde que nunca", a verdade é que desta vez se impõe uma palavra, ainda que tardia, sobre um dos melhores eventos desportivos do ano em Esposende.

Realizado no passado dia 24 de Julho, o Trail das Azenhas 2.0, foi um evento digno de meter inveja a muitas organizações profissionais.

De uma beleza ímpar, serpenteando por entre montes de Antas, Forjães, Belinho, Castelo do Neiva e tocando ora nas margens, ora dentro do rio Neiva, só tendo por lá passado se entenderá a maravilha do momento.

Duro, duro qb. para testar os limites dos "prós", não tendo sequer faltado o calor para ajudar a endurecer aquilo que por si já não era fácil, mas com paisagens dignas de constar nos cartões de visita das nossas terras.

Um preço de inscrição perfeitamente acessível (diria que é dado), com direito a t-shirt técnica, dorsal, medalha de finisher e abastecimentos em fartura (porque nestas coisas... não é que a malta vá para comer, mas comer pode ser um pretexto para parar um bocadinho quando o corpo atinge o ponto de "#conjugar_o_verbo_ganir"), tornaram o Trail das Azenhas um evento digno de agendamento para a edição 3.0.

Foi tão bom que optei por não colocar aqui em imagem o cartaz do evento mas sim a foto com os rostos disponível no fb do evento. Os rostos dos voluntários e staff que organizaram aquele "brilharete".

O meu obrigado e o meu enorme e sincero "respeito". Estão de parabéns. Foram enormes.

E com isto, motivado pelo exemplo desta estrutura amadora, encabeçada pelo Clube de Praticantes Correr Antas à Noite, creio que se pode aqui lançar uma sugestão:

- Porque não incluir na Gala do Desporto uma distinção para o "Evento Desportivo do Ano"? Coisa simples, que poderia passar até por uma votação via redes sociais, mas onde fosse possível assinalar com distinção o trabalho daqueles que proporcionam o palco para que os atletas brilhem. E também assim se assinalando que nem tudo o que de bom a nível desportivo se faz por cá (este post é apenas a esse nível), passa pela organização da CME.

Tão importante como organizar é apoiar - e fica aqui provado que o associativismo, quando apoiado, envolve muita gente, faz coisas bem feitas e não ocupa tantos recursos.