domingo, 31 de julho de 2016

Esposende nos Jogos Olímpicos 2016

Os Jogos Olímpicos são sempre um acontecimento especial.

São tão especiais que são dos poucos eventos não-religiosos cujo nome deve ser escrito com letra maiúscula nos 4 cantos do mundo.

Nos últimos anos o discurso politicamente correto é o de separar o desporto dos nacionalismos que se alimentavam dele, mas nos Jogos Olímpicos isso não faz sentido.

Os Jogos Olímpicos continuam a ser uma das mais estrondosas demonstrações de vitalidade de uma nação e o medalheiro não é mais do que esse reflexo.

Por muito que o Euro 2016 me tenha enchido de orgulho, olhar para o medalheiro e ver que países como Eslovénia e Estónia já ultrapassaram Portugal em número de medalhas nos Jogos de Verão faz-me pensar o que ainda precisa de ser pensado em termos de política desportiva.

Por muito que o Euro 2016 nos tenha enchido de orgulho, seria um melhor sinal  de desenvolvimento da sociedade portuguesa se tivéssemos um número record de medalhas nos Jogos do Rio de Janeiro e essa conquista fosse consistente.

Esposende ter 2 atletas nos Jogos Olímpicos é um facto que nos deve orgulhar a todos, Teresa Portela e João Ribeiro.

A nível mundial não serão muitas cidades, vilas, aldeias que poderão dizer o mesmo. 

Este facto deve servir como incentivo para que o concelho consiga proporcionar aos seus atletas a possibilidade de atingir este nível, formar atletas que possam evoluir até este nível. Seria um forte sinal de desenvolvimento termos atletas sempre nos Jogos.

À Teresa Portela e ao João Ribeiro só lhes posso desejar sorte e que acima de tudo honrem o escudo que levam ao peito.