terça-feira, 26 de setembro de 2017

Análise ao candidato: Artur Viana.

Artur Viana é outro dos candidatos que se deparou com um partido em convulsões e com deserções em toda a linha devido à candidatura de João Cepa. 

Depois destas eleições João Pedro Lopes terá de tratar do problema da JP/GC que decidiu não ter nada a haver com este candidato e com a máquina do partido seguindo as pisadas da facção Berta Viana, o que demostrou claramente um facto até agora considerado dogmático e que serve de aviso para as outras juventudes partidárias: quando as pessoas da lista querem, a malta das juventudes pode não fazer diferença nenhuma numa campanha.

Ainda se lembram de Berta Viana...? Bem me parecia. 

Mas Artur Viana deparou-se com um problema ainda maior, o de ter sido a segunda escolha após o desentendimento do CDS-Esposende com João Cepa, mas pelo decorrer da campanha esse facto não  parece ter afetado nem a ele nem ao CDS.

Segue o seu caminho e o seu programa eleitoral e não entrou num achincalhamento do candidato independente demonstrando que o seu apoio foram águas passadas e o futuro do partido a nível concelhio vai mais além do que estas eleições.

A máquina de propaganda do CDS é a mais bem montada de todos os partidos. 

Iniciou com um conjunto de vídeos de apresentação do candidato que foram uma lufada de ar fresco,apenas pecam por terem sido publicados demasiado cedo, seguiu com as arruadas do CDS pelo  concelho com os elementos vestidos com o mesmo uniforme, evitou as janelas decorativos das fotos de perfil do Facebook e terminou com um panfleto de campanha em formato jornal que diferenciou pelo facto de ter um verdadeiro aspecto de jornal e isso não é nada fácil e estão de parabéns por isso.

Em termos de constituição das listas conseguiu um misto de juventude e experiência e uma proporção equilibrada entre homens e mulheres sem disto terem feito uma bandeira o que evitou entrar na patética disputa da "sexta das mulheres". 

Em termos de programa eleitoral é notório que aposta na dinamização descentralizada, propondo a criação da marca "Ofir" e de efetuar as reuniões camarárias em diversas freguesias do concelho,como exemplos, tentando aproveitar o ímpeto da presença de um candidato em cada freguesia o que certamente acresce novas responsabilidades ao seu resultado eleitoral já que este é um dos passos para se poder ter uma real perspectiva de ser um candidato à vitória nas autárquicas.

A este empenho nas autárquicas não será alheio o facto de este CDS de Assunção Cristas ver nestas eleições a antecâmara de preparação para as próximas legislativas.

Falta a este programa alguma consistência em termos de grandes obras, de propostas mais sólidas e concretas no capítulo da criação de emprego e de atracção de capital para o concelho. 

Tenho dito.